A Teoria do Brigadeiro de Panela

Existem dois tipos tradicionais de brigadeiros: Os de panela, e os “de festa”. Se existem mais, eles não entram no mérito. Não no mérito deste texto.

O fato é que eu consegui relacionar os brigadeiros com a nossa forma de mantermos as nossas relações. Como não consigo arrumar palavras melhores, deixo aqui a cópia da explicação que dei a um amigo:

(13:07:48) Guilherme: o problema do brigadeiro de panela (ou dos relacionamentos mais intensos), é o seguinte: você acaba tendo tudo de uma só vez, então você pode chegar na metade da sua “vivencia”, e já estar enjoado daquilo, deixando a “experiencia” de lado antes do momento certo, uma vez que você “provou” tudo com extrema intensidade de uma só vez, de maneira rápida.

Já no brigadeiro de festa, você prova tudo em partes, aos poucos. Então, a cada momento você tem uma sensação diferente, você pode notar uma coisa nova com mais facilidade. Você aproveita aquilo com mais ~amor~
(13:10:35) Guilherme: estranho, não?
(13:09:16) Pedro Iartóquis: lol
(13:12:10) Guilherme: tipo, quando você pega uma panela de brigadeiro, você vai comendo tudo com vontade, com rapidez, sem parar, pq vc tem a impressão de que aquilo ali não vai acabar. Ai chega na metade, você não ta mais aguentando brigadeiro (pq quanto mais rápido vc come um doce, mais rápido vc enjoa dele) desiste de comer.
(13:12:35) Pedro Iartóquis: VDD
(13:12:42) Pedro Iartóquis: ops, caps acidental.
(13:12:51) Guilherme: quando vc vai comendo aos poucos, você vai aproveitando mais.

Na vida é a mesma coisa, quando você vai se relacionando com alguém, PODE SER muito mais legal se você for aos poucos, conhecendo as pessoas, aproveitando, etc
(13:16:23) Pedro Iartóquis: Acho uma teoria válida.
(13:17:22) Guilherme: Em tese, viver na base do “brigadeiro de panela” te da experiencias mais intensas, e não necessariamente duradouras. No caso do brigadeiro de festa, você aproveita mais, dura mais, e tem algo mais calmo.
(13:21:14) Guilherme: louco isso, nao?
(13:21:27) Pedro Iartóquis: Cara, porque você começou a pensar nisso?
(13:21:54) Guilherme: Estavamos eu e uma amg comendo brigadeiro quando eu comecei a filosofar sobre. Apenas veio em minha mente
(13:22:21) Pedro Iartóquis: Acho que tinha ácido nesse brigadeiro.
(13:22:36) Guilherme: Não tinha. E EU TAVA SOBRIO
(13:22:54) Pedro Iartóquis: AHAM.
(13:24:19) Guilherme: juro. Eu tinha bebido pela ultima vez na noite anterior.

Fiz essa teoria (Estranha? Sim. Certa? Talvez, depende de cada um) totalmente sóbrio, comendo brigadeiro numa tarde de sábado. Agora imaginem, apenas imaginem e me respondam: o que seria dela se eu estivesse bêbado numa mesa de bar, ou apenas consumindo ácido no mesmo momento em que ela foi criada?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s