Por que eu sou um poeta, e tu nao

Nota: Esse é gigante. Puuuts!

Ele levantou. Já sem forças para lutar. Mesmo assim, cansado dessa batalha ele foi.

Foi contra tudo e contra todos, indo de encontro com aquela que seria a sua paz e o seu terror. Encontrar a solução do seu dilema.

Escolher entre o certo e o errado, a turbulência e a maresia.

O amor? A paixão?

Isso ele já não sabia mais se sentia ou não.

Isso, ele já não entendia como e por quem sentia.

Suas pernas estavam bambas

O desejo de beijá-la era grande

O desejo de morrer amando-a era forte.

A vontade de estar ao lado dela era maior a cada instante que se passava.

O desejo só aumentava a sentir aquele perfume que a pela dela exalava .

Ah, aquele perfume!

Difícil definir o que ele significava para ele….

Era a perdição, o desejo de amar, o ar que ele respirava, a lembrança de uma paixão…

E foram juntos,

Encarar os olhares de todos

Tentar não sofrer com as criticas

E vencerem todas as dificuldades que o amor deles iria lhes impor…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s