Até que ponto tu vai mudar pela pessoa amada?

Bom, eu não posso dizer que sou um cara sortudo no amor, mesmo já tendo namorado quatro gurias (ou três, não me recordo, aliás, nunca recordo), eu nunca consegui conquistar alguém facilmente, e eu também JAMAIS tive um relacionamento que começasse ou terminasse de maneira simples. Todos tiveram dificuldades únicas, com as quais felizmente eu aprendi algo.  Bom, depois de ler uns textos acerca da fpd da friend zone [E se tu for lindo, tu viu mais de um link ali, fikdik]

[Pausa para pensar no que escrever sem foder com a minha vida]

Bom, dizem que não se deve mudar por alguém, e eu realmente concordo. A única vez que fiz isso, eu me ferrei fenomenalmente. Tá, parte da culpa foi minha, mas não toda. Enfim, as pessoas humanas começam a gostar uma das outras e geralmente se unem em nome do amor delas para se amarem loucamente, como nos filmes de cinema. Mas, quando se trata de mim, e como a minha vida de comédia romântica não tem nada, e está mais para o drama.

Enfim, quem me conhece, sabe que eu tenho uma mente um tanto quanto “aberta” (piadinhas de conteúdo maldoso não serão aceitas seu nerd poeteiro com espinhas) para opiniões contrárias a minha, e principalmente quando se trata de assuntos como religião, aborto e outras coisas “polemicas”. Em função disso eu não tenho medo de mudar o meu jeito de pensar, a minha maneira de agir, falar, quando conveniente a mim for, ainda mais se for para algo que eu julgue melhor. Outra coisa que a vida me ensinou a ser foi racional. Até porque, sempre que pensei com o coração, me ferrei mais do que quando pensei racionalmente. Em função disso, e do meu amor pelas ciências, eu me tornei ateu. Mas não sem antes freqüentar igrejas católicas, evangélicas, batistas, centros espíritas/ kardecistas (quando digo espírita, não me refiro à umbanda, macumba e outras religiões de origem africana que geralmente são chamadas de espiritismo, e sim sobre o Kardecismo, ok?), estudar religiões diversas, me decepcionar com todas, ver que todas são parecidas e me levarão ao inferno (ou para qualquer lugar parecido) caso eu não siga a maioria delas. E depois de tudo isso, e depois de tudo o que aconteceu, eu simplesmente deixei de acreditar em Deus. Até que um belo dia eu conheci uma guria adorável que era inversamente religiosa a mim (ela é evangélica, só digo isso). Ela foi me mostrando coisas sobre o seu Deus de uma maneira muito bonita, e uma garra que me impressionava. Eu passei a gostar MUITO dela, ela também gostava quase o tanto de mim. O tempo passou, eu desisti dela, e durante semanas eu re-acreditava e desacreditava no que eu sentia por ela. Mas acontece que depois de um tempo, eu percebi que eu simplesmente perdi minha capacidade de ter fé em algo que eu não conseguiria ver na minha frente (sem esse papo de que Deus está em tudo, e que Deus é amor, Deus está na luz, no ar, e afins ok?). E também vi que para acreditar, ou não em Deus, ou em qualquer criatura metafísica de inteligência superior basta olhar da maneira certa, já que certas coisas, dependendo do ponto de vista, podem provar a existência divina. Ou não.

O fato é que agora eu simplesmente desisti de acreditar em Deus. Hoje não mais me digo ateu, ou descrente, e sim agnóstico, e busco ter uma existência na qual eu ajude os próximos e seja alguém legal para aqueles que estão ao meu lado.

Bom, eu acho que eu ia falar de amor nesse texto né? Enfim, o fato é que eu ainda gosto MUITO dessa guria, e uma coisa que me impede de me unir a ela são as nossas opiniões. Elas simplesmente são o oposto uma da outra. Eu não vou repetir o que eu já disse sobre ela, mas enfim, eu também já perdi o foco do texto. O fato é que eu acho muito chato isso das pessoas não conseguirem aceitar as outras, quando estas têm opiniões divergentes. E isso basta.

IMPORTANTE: O que VOCÊ faria ou mudaria em você por ficar com alguém que você gosta?

Este era para ser um dos posts mais louco que eu já fiz. ERA

Bom, são 22:30(mentira, 22:28, mas isso é irrelevante) e eu estou aqui tentando escrever algo que preste. Não estou bêbado, não estou muito feliz, estou normal. Apenas estou tentando não escrever algo sobre o carnaval, e também sobre o que eu fiz nas ultimas 29 horas, pois tem amigos (ou não) lendo esse blog o que poderia me resultar em sérios problemas. Outro assunto que eu poderia colocar no post, seria o #OrkutOuro e uma falha que surgiu semana passada no site do G1 na qual um banner te levava para um site igual a este:

Bom, quando eu fui procurar a imagem, eu vi que depois de ficar horas procurando pelo post

[PARA TUDO: Acabo de me tocar: São 01:33 da manhã, e eu não passei desse ponto do texto. Motivo? Twitter, trollagem no @Picoon, conversas no Im, e mudanças… enfim, Twitter. Eis o Motivo. Bom, amanha mais tarde termino esse rascunho. 13:51, agora vou terminar isso]

CONTINUANDO…

[…] ficar horas procurando pelo post, eu vi que não tinha o print. Logo se você viu, tu viste se não viu, se vira e busca no Oráculo.

Como tanto o #OrkutOuro, quando o erro do estagiário bêbado são coisas “anos 70”, eu não falarei. Também vou ignorar o carnaval. O simples fato de que ele está acabando, e em breve tenho provas para fazer, já me deixa triste. Além do mais, estou sem imaginação para escrever sobre a minha aventura no carnaval. Daria um ótimo post. Mas vai ficar para próxima.

Novidades: Como vocês podem ter visto, re-ativei a minha conta no WordPress, voltei a blogar por ele. Se tivesse mais dinheiro, pagaria um pouquinho e mudaria algumas coisas nos temas, no domínio. Mas essa não é uma opção válida. Se contentem com isso.

Talvez um dia eu traga meus posts do outro blog para este, re-adicione os comentários, e delete o outro, enquanto isso, clique aqui e leia os três posts que eu fiz nesse blog. Ou quatro não lembro e estou com preguiça de ver (mesmo que o tempo gasto para digitar isso seja maior do que o tempo para ver) ok?

Talvez eu arrume o “About” do meu blog também. Ou não.

Enquanto isso fiquem com esse texto. Em breve, se o @adrianolepper me permitir, eu irei publicar o podcast dos brothers aqui também. No mais, vou postando coisas aleatórias e criando uns podcasts quando me der vontade.

Ah, os engarrafamentos…

Já reparou que engarrafamentos sempre acontecem quando você menos precisa deles? Não sei vocês, mas quando eu tenho menos tempo, é quando o ônibus mais demora, o motorista vai mais devagar, e é sempre nesse dia em que alguém( geralmente somente os verdadeiros FPD’s que fazem isso) resolve bater o carro bem aonde tu irá passar. Provocando puta engarrafamento.

Eis que chega sexta, dia fatídico no imaginário brasileiro pois é o dia em que se faz o bom e velho happy hour, dia em que se prepara para ir para a praia, dia em que tu cai na gandaia, ou come encontra com a sua digníssima para uma noite de amor tórrido. Na tarde de uma dessas sextas feiras, meu pai resolveu me ligar para ir ver Avatar, filme que ele a muito tinha prometido me levar, mas o infeliz sempre me arrumava uma desculpa para não fazê-lo. Naturalmente aceitei o convite, mesmo não sendo em 3D( primeiro sinal de que o passeio não seria como eu queria), e parti de casa faltando 45 minutos para encontrar com ele, o que me daria o direito de um atraso INICIAL de 15 minutos. Como minha mãe é uma pessoa muito legal, ela resolveu me deixar APENAS uma “notinha” de 50 reais, para pagar uma passagem de 3,15( segundo sinal). Nem um pouco esperto, passei em uma sorveteria para trocar o dinheiro e tomar um sorvete com o dinheiro deles. Quando estou a virar a esquina da sorveteria, quem me surge virando a mesma a 50 metros do ponto? SIM! O ônibus que eu iria pegar! Ao “som” de vários palavrões repetidos freneticamente em minha mente, comprei o meu sorvete e fui em direção ao ponto de ônibus, esperar um por nada mais, nada menos que 30 minutos. Peguei meu ônibus às 16:49. Tinha que encontrar meus pais às 17:00. Sento no ônibus, torro mais um pouco da minha pouca vergonha na cara e meus belos fones de ouvido auriculares que uso no computador no celular, e começo a ouvir um talk show de humor. Quando o ônibus sai enfim do bairro e pega a BR em direção ao meu destino, eu me deparo, quinze minutos depois, com um engarrafamento de 5Km cujo motivo apenas é a existência de muitos carros na BR. Começo a xingar mais um pouco todos aqueles carros a minha volta. O engarrafamento se resumia a essa área aqui, aproximadamente:

mapa-blog

Quando meu ônibus resolve entrar na marginal, ele acaba por alguns pequenos probleminhas na hora da saída:

engarrafamento-1

Se imagine mais quinze minutos parado ai, vendo os carros passarem e você parado. Então, é isso. Mais um engarrafamento vencido, mais alguns minutos atrasado, mais um engarrafamento no meio do caminho, eu saio da BR, e entro na Avenida Amazonas. Ela é uma avenida bem interessante: Possui trechos de quatro vias, outros com três, subidas, descidas e trechos de pura reta. É uma das principais vias de Belo Horizonte. E adivinha como estava o trânsito no INICIO dela? Assim:

engarrafamento-2

Pois é, alegria de pobre dura pouco, ainda tive que enfrentar mais dois engarrafamentos, ou melhor, trechos de lentidão no final da avenida. Ela é tão bem projetada, que os trechos com menor numero de faixas são aqueles de maior movimentação. Enfim: Cheguei duas horas atrasado. Sem bateria no telefone pois torrei ela ouvindo músicas e rádio. E adivinhem? Não vi o filme! Isso mesmo! Ao chegar, meus pais falaram que a seção só iria começar às 19:50 e que não ficariam para ver. E que eu, naturalmente, não iria ficar TAMBÉM. Voltei para casa, grato por Deus ter comido um pedaço do pão da minha vida, e para constar:

Isso aconteceu a aproximadamente 10 dias. Meu pai está me prometendo a grana para ver o filme, desde o segundo dia de filme. Eu ainda não vi o filme. Forte abraço.

Por que a minha irmã só deve fazer bolos de cenoura com cobertura de chocolate(UI)

Bom, depois de meia hora tentando decidir sobre o que eu falaria nessa postagem, tinha cinco assuntos. Decidi depois de pedir ajuda a minha irmã e ela me trollar( como é típico da minha família).

O fato é que a minha querida irmã, faz bolos de cenoura com cauda de chocolate ótimo, sou obrigado a admitir. Tanto que ganhei um de presente de aniversário dela. Mas quando ela faz bolos de outros sabores, geralmente é um desastre. Poderia citar como exemplo os bolos de chocolate que deram errado, ou a broa de fubá que segundo ela, era serviço de profissional e acabou queimando MUITO, mas não é sobre eles em especial que eu quero falar, e sim sobre uma receita que ela tomou conhecimento após uma amiga de serviço contar para a minha mãe.

Enfim, a idéia original era o bolo ficar mais ou menos assim:

093011841

Mas é lógico que no final das contas não passaria disso:

img_8314

Basicamente a receita se resumiria a um bolo, que seria partido em cubos, e coberto por brigadeiro, levado a geladeira e servido com palitos de picolé( como não temos palitos de picolé, foram usados os bons e velhos palitos de dentes), quando gelados. Quando ouvi brigadeiro, logo imaginei os pedaços sendo submersos em uma panela de bolo, e quebrando graças a “densidade” do bolo( não arrumei palavra melhor, perdão amigos) já que o mais natural seria usar umas duas barras de chocolate derretido, e não algo como brigadeiro. Nem precisa dizer que pensei um “WTF?” ao ouvir a minha irmã falar do brigadeiro não é?

Agora, imaginem o filme: Depois de um dia estressante de aula, com muito sono, e uma aula chata de geografia, um quase encontro para me redimir perante @kakapunkcool, chego em casa, e vejo a minha irmã saboreando raspas de brigadeiro na varanda com uma colher me dizendo que não era para comer o bolo que estava na geladeira eu, que sempre ignorei aquela historia de que comer bolos, roscas(UI), e afins quentes dava dor de barriga, perguntei o motivo. Ela me contou da receita, e disse que tinha deixado o brigadeiro endurecer, automaticamente, o bolo virou um FAIL:

bolo

Pois é, ela NÃO conseguiu cobrir os pedaços. E MAIS! Na tentativa de deixar uma parte dos pedaços frios mais rápidos, ela colocou alguns na gaveta abaixo do freezer. Resultado: depois de algumas horas( 20 para ser mais exato), ela resolveu remove-los de lá, e notou que eles estavam simplesmente “petrificados”. Eu ia fazer um vídeo sobre isso, upar no Youtube só para vocês terem uma idéia de como ficaram os pedaços que ficaram na gaveta do freezer, mas como ela não quis emprestar a camera dela, e a qualidade da câmera do meu celular não é das melhores, desisti. Mas se pedirem, eu prometo fazer um vídeo e colocar aqui, para o deleite de vocês.

O que podemos concluir com isso tudo? Minha irmã deveria parar de tentar fazer bolos que não os de cenoura, e jovens, não fiquem inventando algo na cozinha, a não ser que só você ira comer, ou tenha uma pessoa responsável( A.K.A adulto/pessoas inteligentes) por perto para te guiar e assim diminuir as chances de algo dar errado ok? O tio agradece.

Sobre memes, Deus, o pão da minha vida, e o uso de certas frases no cotidiano

Bom, a alguns dias atrás, postei um meme no meu Orkut( sim, eu ainda uso aquela jossa velha e lenta), depois de um belo dia em que Deus comeu o pão da minha vida. Literalmente. Assim que percebi, me deparei com uma chuva de comentários me criticando pela frase e com uma serie de mensagens de uma amiga falando sobre Deus e tudo e tudo.

desu

O interessante disso tudo, foi ver como as pessoas que não conhecem quando não conhecem algo por completo e isso não agrada a pessoa. Poderia entrar no mérito do fato de viverem me criticando por ser ateu, mesmo eu jamais criticando a religião dos mesmos quando atacado, mas o meu objetivo com esse texto não é isso, e sim explicar e dissertar sobre alguns memes que eu conheci no Twitter e aos poucos foram tomando conta da minha vida e sendo usados sem querer querendo.

A começar, pelo meme da discórdia, o “Deus come o pão da minha vida”:

Eis aqui, aonde ele surgiu, segundo o @bzirpoli(um dos caras que me “ensinou” metade dos memes que conheço, e que me ajudou e muito nesse texto):

d-us

Caso você ainda não tenha entendido o que significa o “Deus come/ ta comendo/ comeu o pão da minha vida” e semelhantes, eu explico jovem mulinha do meu ódio:

Deus…(você já sabe o resto do meme, certeza que tu já decorou ele, não vou repetir ele para deixar o texto mais enxuto) serve para designar aquele dia, situação, momento em que tudo dá errado, um daqueles dias em que o mundo se revolta contra você, ou quando simplesmente você quer revelar o teu ódio e revolta perante algo. O meme não critica o Deus judaico cristão, não se refere exclusivamente a este Deus( afinal de contas existem muitas religiões de um único Deus) mentira, fala sim, mas isso é irrelevante, e por fim, fica a pergunta: Se podemos fazer piadas de loiras, portugueses, por que somos tão repreendidos como fazemos sobre religião?

[Espaço reservado para a hashtag memiatica mais 100% amor do Twitter: #morazo]

O #morazo, é a hashtag que significa tudo o que é de bom nessa vida, significa o amor, a paz, a vida. E eles estão aqui para provar isso:

carol-morazokai_ckul-morazo

bzirpoli-morazo1

E por fim, a explicação do grande criador do #morazo, Bernado Zirpoli:

bzirpoli-morazo2bzirpoli-morazo3

É lógico que eu não posso deixar de colocar o primeiro tweet com a hashtag 100% amor, #morazo não é mesmo?

bzirpoli-morazo4

Agora, partimos para um bem divertido, o PQPVCS!

pqpvcs

Imagino que a tirinha também seja auto explicativa não é? Ou você vai me dizer que não entendeu a linguagem usada na mesma?

Tá, eu já esperava pelo sim, então lhe digo mulinha do meu coração, que PQPVCS é revolta é ódio no coração pura.

E por fim, o “Zieu”, que normalmente vem acompanhado de risadas, explicado pelo próprio criador:

zieu

Eu ia também entrar no mérito do “COMO PROCEDER?” mas uma das tirinha acima a qual eu não estou afim de olhar qual é, mas sei que você já a leu se chegou neste ponto da leitura portanto a ignorarei já possui ela, então dispensarei comentários sobre a mesma.

Agradeço a @kakapunkcool, @leonardowski,  @kirp,  @morazen, @rere_kombi,  @capanema, @MattSimonato,  @mattidioteque, @nivadias e @carolperrone por lotarem a minha timeline com memes tão sensacionais. Só digo isso( outro meme auto explicativo que eu não vou explicar aqui)

Bom, eu poderia digitar mais coisas, falar mais sobre os memes, colocar definição do oráculo mas não estou afim ok?

Poema

E logo agora que comecei a acreditar em você,

Agora que a minha alma encontrara algum bom motivo para no amor acreditar,

Você joga tudo para o alto

Para enfim deixar de sonhar.

Vá e viva teus sonhos

Não me deixe te atrapalhar

Distante de mim deverás agora ficar

Para tua nova vida levar